CASO VEJA – Soninha vai à guerra cavalgando imprensa marrom pró-veja de gravata, hiiii

Quando entrei nessa batalha da Veja, nunca me iludi contra os diversos golpes possíveis. Um, mais óbvio, era utilizar blogueiros da revista para ataques desqualificadores, de um nível só possível na Veja.

O expediente se esgotou, os ataques nunca ganharam eficácia.

O passo seguinte seria cooptar outros blogueiros. Faz parte o jogo. Muitos blogueiros aderiram à série Veja por serem contra uma revista de direita – embora fizesse questão de salientar, desde o início, que minha batalha não é ideológica, é jornalística. Outros por entender que era uma luta pelo jornalismo, da blogosfera contra o velho. A própria Veja deve ter conseguido aliados espontâneos entre aqueles blogs mais alinhados com sua linha ideológica.

Até aí, nenhuma surpresa. Nem me daria ao trabalho de aceitar provocações para pequenas guerras paralelas que me fizessem sair do foco original, não fosse o fato de que o último ataque partiu de quem eu menos esperava: a equipe da vereadora Soninha.

Assessores de Soninha passaram a repetir todos os ataques do blogueiro de Veja, as mesmas acusações, os mesmos apelidos desqualificadores, os mesmos sofismas, com a intensidade de um cristão novo.

Confesso que não entendi nada. Afinidade ideológica, jamais, a não ser que tenha ocorrido o mais rápido processo de conversão da política brasileira.

As razões para minha surpresa decorriam não apenas dessa discrepância entre a história de Soninha, até então, mas dos seguintes fatos:

1. No episódio COC, Soninha entrou no blog, passou informações relevantes sobre o papel da Veja, foi alvo de uma campanha de baixíssimo nível do blogueiro da revista (clique aqui). Os ataques a Soninha mereceram a defesa de um assessor, que destacou as maiores baixarias do Blog de Veja e manifestou sua indignação com o estilo do blogueiro.

2. Além de Soninha ter participado diretamente do episódio COC, me alimentando de dados, quando comecei a série fui procurado por outro assessor, que me passou boas informações sobre notas que saíram na Veja, quando Daniel Dantas tentou comprar a Transbrasil. Liguei para Soninha que avalizou a conduta e a seriedade do assessor.

Ou seja, até outro dia assessores de Soninha me alimentavam de dados contra a Veja.

De repente me informam que um dos blogs cooptados para os ataques é justamente do assessor que levantou o caso COC, inclusive repetindo, agora, o estoque de baixarias que condenava no blog que agrediu Soninha.

Quando leitores me informaram dos ataques, liguei para ela, para entender. Apressou-se a me dizer que o que move seu assessor é convicção pessoal, não interesses menores. Sei, sei. Mas demonstrou estar a par de tudo.

Não sei a motivação de Soninha. Só sei que as mudanças radicais que passou, nos últimos meses, fizeram-no perder o referencial, não só recuando em sua posição original (o que seria compreensível) mas caindo de cabeça em um jogo malcheiroso.

Provavelmente fez por merecer o belo perfil que Vejinha lhe dedicou em 26 de março de 2008, justamente no período em que se operou a mudança (clique aqui).

"O que é que a Soninha tem?

Dois dos três principais candidatos à prefeitura disputam a vereadora do PPS para vice. Ela jura que não irá na garupa de ninguém: "Eu mesma vou concorrer. Quero ser prefeita""

É uma pena! Certamente ao chegar na Câmara dos Vereadores, velhas raposas a olharão com admiração e lhe dirão: bem vinda ao nosso mundo.

Versão integral no Blog do Nassif.

Comentários