Após associar pela primeira vez defesa e segurança, França regressará ao comando militar integrado da OTAN, 43 anos após abandono por De Gaulle

O Presidente francês, Nicolas Sarkozy, apresentou nesta Terça Feira o Livro Branco sobre a defesa e a segurança nacional, no qual é previsto o regresso da França ao comando militar integrado da NATO, 43 anos depois do abandono no tempo de De Gaulle. O documento, que pela primeira vez em França associa defesa e segurança, prevê ainda a redução de um sexto dos efectivos militares, o aumento do orçamento militar em 1% por ano acima da inflação e a duplicação das despesas com satélites militares até 2020.

Cf. versão integral em: Esquerda.Net

Comentários