EUA, Presidenciais 2008 – O chumbo grosso contra Obama: livro de David Freddoso, O caso contra Obama, da mesma editora que destruiu reputação de Kerry

A pesquisa divugada no fim da semana pelo site da revista Newsweek, dando pela primeira vez uma vantagem de dois dígitos (15 pontos percentuais) ao candidato Barack Obama, está sendo festejada com entusiasmo pelos democratas. Mas não parece conveniente exagerar a relevância do resultado, segundo o qual Obama tem a preferência de 51% do eleitorado - contra 36% de John McCain. (Leia AQUI a análise de Newsweek). [...]

Mais instrutivo seria examinar o que aconteceu em 1988 (o velho Bush contra Dukakis) e 2004 (Bush filho contra Kerry), pois está sendo preparada para 2008 a mesma receita republicana dessas duas eleições. Bush pai inverteu a tendência em 1988 com o bombardeio dos célebres comerciais de Willie Horton; e em 2004 Bush filho fez o mesmo com os comerciais Swift Boat (mais a fraude de Ohio).

Ohio mal entrou nas discussões de quatro anos atrás, ante o escândalo da torpe campanha contra Kerry - que teve sua imagem de herói, condecorado cinco vezes por bravura no Vietnã, destruída por uma ação difamatória cujo efeito prático foi o de transferir para Bush, fujão da guerra do Vietnã graças à proteção de amigos da família, o status heróico do adversário.

[...]No caso “Swift Boat”, distinto, difamava-se do mesmo jeito. O nome referia-se aos “barcos rápidos”, como os que Kerry comandava no Vietnã. Condecorado pela sua conduta na guerra, ele voltou ao país e aderiu a protestos anti-guerra, condenando o papel dos EUA. A campanha foi assumida por desafetos dele e duvidosos patriotas da extrema direita, republicanos[...]

Uma campanha em gestação

O projeto Swift Boat incluiu, além dos comerciais, o livro Unfit for Command - escrito por militares que retrataram Kerry como traidor por denunciar atrocidades praticadas por americanos no Vietnã. O livro foi para a lista de “best sellers”. E os comerciais, veiculados especialmente em redutos patrióticos do Sul e Meio-Oeste, assassinaram a reputação de Kerry, transformando-o em traidor.

Neste momento, como contou ontem o site Politico.com, a editora do livro contra Kerry (Regnery Publishing, de extrema direita) conclui o de Obama, a cargo do jornalista ultraconservador David Freddoso. Título: The Case Against Barack Obama: The Unlikely Rise and Unexamined Agenda of the Media’s Favorite Candidate (O caso contra Obama: a ascensão improvável e a agenda não examinada do candidato favorito da mídia).

Obviamente, a tese é de que Obama foi “fabricado” pela mídia, que nunca “examinou” seu passado e supostas ligações com extremistas - do pastor Jeremiah Wright (do qual se afastou) ao ex-radical da década de 1960 (quando Obama tinha apenas seis anos de idade) Bill Ayers, hoje vizinho. O comando da operação difamatória pode ser, por baixo do pano, de Karl Rove, a quem se atribui também a desconstrução de Kerry há quatro anos.

Cf. versão integral em: Blog do Argemiro Ferreira

Comentários