A inflação não é um problema monetário (II): COMO É RESPOSTA À ESQUERDA?

Embora não seja o caso no presente, historicamente a esquerda tende a desvalorizar o problema da inflação e os seus assimétricos impactos no conjunto população. Como já aqui apontámos, são os mais pobres os mais afectados pela subida dos preços, já que são eles que dedicam uma maior proporção do seu rendimento aos bens mais afectados (p.e. bens alimentares). Contudo, é à esquerda que encontramos a resposta para a recente alta dos preços, nomeadamente no que aos mercados financeiros diz respeito. Esta longa reportagem do Der Spiegel (em inglês), ao documentar os efeitos devastadores da migração dos especuladores financeiros para os mercados de derivados, é muito elucidativa.

Como argumenta um dos maiores especuladores mundiais, George Soros, a finança tornou-se «demasiado grande e demasiado rentável». Só limites claros à acção dos diferentes agentes financeiros podem estancar a especulação nos mercados de petróleo e bens alimentares. A solução para o problema da inflação passa obrigatoriamente por aqui.

Cf.: Ladrões de Bicicletas

Comentários