MARANHÃO – HIDRELÉTRICA: Usina de Estreito é embargada pela Justiça

A Justiça do Maranhão deu ganho de causa aos movimentos sociais e embargou a obra da usina hidrelétrica de Estreito, na divisa com Tocantins.

Caso as empresas responsáveis descumpram a decisão e continuem com as obras, pagarão multa de R$ 15 milhões.

A usina de Estreito é responsabilidade das empresas Vale, Alcoa, Tractebel e Camargo Correa.

Entendendo o ponto de vista da sociedade organizada, a Justiça reconheceu que o processo de licenciamento ambiental da obra foi viciado desde sua primeira etapa.

Assim, os estudos e relatórios de impacto ambiental foram considerados inválidos, o que acarreta a suspensão da obra.

O juiz determinou que sejam feitos novos estudos e, depois disso, novas audiências públicas com as comunidades que serão afetadas pela usina de Estreito. (pulsar)

Cf.: Pulsar

Comentários