Para o PSDB pedágio é mais importante do que Educação? Professores de SP decidem manter greve


Docentes recusaram por unanimidade as alterações feitas pelo governo do Estado no decreto que deu início à paralisação

Cf.: Por Um Novo Brasil

*Veja as reivindicações dos professores:

- Revogação do Decreto 53037 e da Lei 1041
- Reajuste salarial já, que reponha as perdas salariais
- Incorporação das gratificações aos salários com extensão aos aposentados
- Realização de concurso público classificatório para todas as disciplinas
- Um novo Plano de Carreira;
- Fim da aprovação automática;
- Liberdade de cátedra;
- Extensão do ALE para todas as unidades;
- Gestão democrática e autonomia da escola;
- No máximo 35 alunos por sala;
- Melhores condições de trabalho;
- Garantia de emprego e estabilidade a todos os professores.

Cf. versão integral em: Vermelho

*Serra deu 20% de aumento nos pedágios e propõe 12% para os professores, o pedágio está subindo todo ano, já os professores há anos não

Cf.: República Vermelha

*Nota APR: após o reajuste dos pedágios, CADA QUILÔMETRO RODADO custará cerca de 15 CENTAVOS ao imbecil quando chegar no pedágio da Bandeirantes

15 centavos x 40 quilômetros de intervalo estabelecido entre pedágios = 6 reais. No sistema Bandeirantes, novo pedágio será R$5,9

*TARIFAS TUCANAS

O reajuste dos pedágios paulistas, a vigorar em 1º de julho, ilustra a mamata das concessionárias sob os governos do PSDB. Os contratos de concessão prevêem aumentos baseados no IGP-M anual da Fundação Getúlio Vargas. Este índice teve alta de 11,53%, mais do que o dobro da inflação calculada no mesmo período.
O IGP-M deixou de alavancar contratos há muito, mesmo quando assim previsto, pelo simples motivo de que se tornou uma base de cálculo irreal, exagerada, lesiva para as partes pagadoras. No mundo da iniciativa privada, a sensatez comercial determina que os reajustes reflitam o aumento efetivo dos custos envolvidos. Já no mundo maravilhoso das concessões de estradas, opta-se pelo caminho mais oneroso ao usuário e mais rentável para os prestadores de serviço.
Mas não é só. Mesmo com o índice de 11,53% estabelecido pelo IGP-M, o aumento de algumas tarifas será ainda maior, chegando a incríveis 20%. Não há qualquer explicação técnica para o abuso, pois insumos materiais e salários jamais subiram na mesma proporção.

Cf. versão integral em: Guilherme Scalzilli

Comentários