REELEIÇÃO NA COLÔMBIA TAMBÉM TEVE COMPRA DE VOTO, só que a justiça de lá, ao contrário da que se rasteja no Brasil há séculos, coloca os pingos nos is

Compra de voto é a última acusação da Corte Suprema de Justiça da Colômbia (aqui no Rebelión), que vai deixando desesperado o presidente Álvaro Uribe. Depois de fazer uma devassa no congresso colombiano, onde até o primo de Uribe foi preso por sua relação com os paramilitares, a Corte agora ordena uma revisão da reforma constitucional que permitiu Uribe reeleger-se, devido a três ex-congressistas, Yidis Medina, Teodolindo Avendaño e Iván Díaz, terem confessado o recebimento de suborno para votar a favor da emenda da reeleição. Uribe, como sempre, respondeu com terrorismo, acusando os órgãos judiciais de abuso de poder e de usurpar competências do poder político. Em seu desespero, Uribe, ao invés de interpor à revisão legal, quer que as eleições de 2006 sejam repetidas. O espalhafatoso presidente conseguiu reunir críticas à sua posição da oposição e até dos que o apóiam. O jornalista Carlos Lozano afirma que “é uma explosão desesperada porque a sua situação começa a ser comprometida em fatos maliciosos”. É uma pena que na época da reeleição de Fernando Henrique a Corte Suprema Brasileira não tinha nada de colombiana.

Cf.: Afinsopfia

Estamos aguardando a condenação das atitudes cada vez mais autoritárias do presidente Álvaro Uribe por parte de nossa brava e democrática imprensa .

Cf. Incrível Exército Blogoleone

Comentários