Sem provas, advogado da CPT, é condenado à prisão, sem direito a pena alternativa, por manifestação pelo assentamento de famílias no Pará

Justiça Federal de Marabá condena defensor dos direitos humanos à cadeia, sem direito a pena alternativa, por manifestação pelo assentamento de famílias no ParáAdvogado e membro da coordenação nacional da Comissão Pastoral da Terra, José Batista Gonçalves Afonso, foi condenado pela Justiça Federal de Marabá (PA) a uma pena de 2 anos e 5 meses de prisão, juntamente com um ex-coordenador regional da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri). O julgamento foi baseado na denúncia, apresentada por representantes do Ministério Público Federal à Vara Federal de Marabá, de que os acusados teriam incitado a invasão da sede do Incra em Marabá, durante uma reunião que acontecia entre o Governo do Estado e 120 lideranças de associações e sindicatos, representantes da Fetagri, da Confederação dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e da CPT.

Cf. versão integral em: Agência Brasil de Fato

Comentários