UM “NEW DEAL” PARA OS AGRICULTORES POBRES

Jeffrey Sachs foi, durante os anos oitenta, um dos principais símbolos do ajustamento estrutural imposto aos países em desenvolvimento. Foi ele que desenhou o radical programa de privatização e liberalização boliviano, cuja aplicação resultou num gigantesco levantamento popular violentamente reprimido. No presente, o "Dr. Shock" (como ficou conhecido) renasceu como economista do desenvolvimento, preocupado com os famélicos da terra. Este notável artigo (com um título brilhante), publicado no Jornal de Negócios, sobre a importância da intervenção pública na reconversão da agricultura dos países mais pobres, mostra bem como Sachs mudou de opinião. Deixo alguns excertos:

"A História tem mostrado que é necessária uma acção governamental para ajudar os agricultores mais pobres a escaparem à armadilha da pobreza derivada dos fracos rendimentos."

"Durante a crise da dívida, nas décadas de 80 e 90, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial obrigaram dezenas de países pobres importadores de alimentos a desmantelar estes sistemas estatais. Foi dito aos agricultores que deveriam desenvencilhar-se sozinhos, deixando que as “forças de mercado” fornecessem os ‘inputs’. Foi um grande erro: essas forças de mercado não existiam. "

"É hora de reestabelecer os sistemas de financiamento público que permitem aos pequenos agricultores dos países mais pobres, nomeadamente os que dispõem de terrenos com dois ou menos hectares, aceder aos necessários ‘inputs’ de sementes de alto rendimento, adubos e sistemas de irrigação em pequena escala."

Cf. versão integral em: Ladrões de Bicicletas

Comentários