ao leitor

1. com minha mãe há duas semanas em processo de lenta recuperação de sequelas de dois AVCs, internada em enfermaria de hospital público, sem falar e mexendo apenas os olhos e alguns dedos da mão esquerda, sujeita à somatória de acasos e carências próprios aos acamados num hospital, público ainda por cima,

2. família minúscula, como ela tem dois filhos, o outro padece há décadas de alcoolismo crônico, dentre outros afetos tristes e passivos --- e eu sou o que reúne condições motoras, cognitivas e interesse em sua recuperação, e como minha esposa e sogra também são as únicas outras pessoas que reúnem tais atributos, e sabemos ser fundamental à paciente uma pessoa 24 horas por dia ao seu lado,

3. e com dias e noites em que não eu esteja a lecionar atravessados ao lado da cama a satisfazer e-ou testemunhar as demandas de atendimento à paciente, inexistem condições e tempo para postagens e atividades afins.

até breve,

Comentários

Afinsophia disse…
Companheiro,

Cada um é muitos, há uma multidão intensiva de potências desejantes da recuperação da sua mãe. Inclusive por aqui.

Abraços!
Anônimo disse…
Solidariedade, camarada... :)
gilberto tedeia disse…
malgrado a permanência da precariedade do quadro geral, retribuo com carinho as manifestações de solidariedade e ajuda ofertadas,

GT