Corrupção no Vaticano seria a causa de vários incidentes por lá, incluindo renúncia do atual papa


...


Bento XVI e seu olhar doce, puro e sincero, por assim dizer

Ainda que espalhafatoso, esse artigo aprofunda a tese de corrupção a transformar a "limpidez" da sede da cristandade em esgoto movido a operações escusas sem qualquer limite penal ou ético.


A ação articulada e hegemônica de agentes da alta cúpula do Vaticano desde Pio XII, aquele papa que deu sinal verde a Hitler, é movida pela defesa de interesses materiais bem precisos envolvendo finanças e muito tráfico de influências. 

O autor insinua que tais interesses explicariam desde o infarto inédito do João Paulo I [único caso da história da medicina em que o cadáver fica verde, tal como nos casos de envenenamento por cianoreto], passando pelo ataque a tiros contra o polonês que o sucedera, até a renúncia do atual: após ver anulada sua tentativa de "varrer os vendilhões do templo", o papa ainda em exercício preferiu a renúncia a algo como "crônica de uma morte anunciada" [nada mais oportuno que citar o realismo mágico de Garcia Márques nesse contexto]. 

[updated em 14.fev: 

1: o autor escreveu novo artigo com mais detalhes macabros das catacumbas do Estado papal, em trama que envolve de Brezjnev a Brigadas Vermelhas, a reforçar tese de Bento XVI ter jogado a toalha e perdido a batalha contra máfia da alta cúpula do Vaticano. Versão em PDF, aqui]


2. Não que eu vá incorrer em falácia ad hominem circunstancial, e desqualificar a denúncia mediante suspeição sobre a pessoa que a formula. Mas é bom informar que esse "jornalista" não é conhecido somente como tal. O autor também apronta das suas: esse artigo traz ficha corrida dele; esse outro traz mais coisas sobre  o estelionatário; por fim, ele postou ao menos um texto com "denúncias" antidilmistas típico dum troll reinald@azed@. 

Além de troll da direita, é um estelionatário com várias passagens por pequenas falcatruas. Troll e estelionatário seriam, de fato, credenciais à altura para conhecer a fundo as  falcatruas e os esgotos do Estado papal... 


Porém, em ambos os artigos sobre a renúncia, o autor em nenhum momento politiza suas denúncias, deixando passar em branco a Opus Dei e outras gangs de extrema direita que tomaram de assalto o Vaticano, num movimento iniciado há mais de 40 anos. 

Porque será que ele poupa a ordem fundada por São Josemaría Escrivá de Balague?]



Estaríamos ante especulações típicas quando o tema é a quase duo-milenar e a mais antiga monarquia absolutista, historicamente movida por interesses "nada cristãos", e plena de falsificações e intrigas de bastidores? O que um frei dominicano da velha guarda diria a respeito? Quais mosteiros de jesuítas compartilham tais segredos? Como a Opus Dei e as alas ultrarreacionárias do Vaticano desmentiriam essas e outras tantas denúncias? Seria otimismo em demasia supor que a maioria dos cento e vinte e tanto cardeais aproveitarão a deixa, iniciarão um Novo Tempo

Para encerrar, soltemos a imaginação. Como tudo costuma acabar em pizza também no Vaticano, não é à toa que fica em Roma, não custa fantasiarmos Bento XVI alçado à condição de "O Mártir da Era da Corrupção", santificado pelo desapego ao cargo após ter  perdido o combate contra a corrupção, sendo a prova do milagre que o beatificará o inquisitor Joaquim  Barbosa e a condenação sem provas na AP470, e, à direita, lá como cá, a fanfarra a impor os acordes do charango como se nada tivesse acontecido.

Hilário, não fosse patético, é ter ainda gente a crer na fumacinha branca como sinal de dels, ou que meras eleições garantam alternância real de poder...


...

Comentários