Tamanco em solo árido



Dica de um amigo, "tamancada violenta do Safatle..." [link aqui].

Leitura recomendada e que anuncia o fim de certo equilíbrio que, bem ou mal, evitou o massacre daquele lado da sociedade que apresenta pautas emancipatórias ou questiona o atual estado das coisas.

Com o uso da lei que se vê nos últimos tempos, somada à postura que se impõe visando criminalizar a expressão do dissenso, desenhadas de modo sintético e preciso pelo Safatle, o texto acaba sendo até otimista, ao supor que, no curto prazo ao menos, haverá mais do que espasmos isolados.

Já sabemos que qualquer "foco de resistência" será pisoteado com a "lei antiterrorista", ontem já acionada contra Boulos, que talvez vá o ser primeiro caso de prisão política da " Velha República" que volta com tudo o relógio da política para os pré-anos 30.

Nos termos dessa lei, aliás, esse bom artigo do Safatle, também o torna  imputável.

Incrível, mas poderemos, e por pouco tempo, tratar do direito de resistência como mera referência desinteressada a idéias de Locke, e não tarda para que surjam índex tecido ao sabor dos acontecimentos com temas e autores sob censura prévia legitimada por esbirros dessa ditadura judicial-policializada que está a poucos passos de dar o bote final.

Enquanto isso, certa esquerda Pokémon, tal como os idiotas defensores das Leis do Mercado sentados no barco do cartum que abre esse post, brinca com seus artefatos metafísicos negrianos, e segue a tricotar uma cínica terceira via ou sei lá o quê como fosse haver alguma estrada para circularem seu espinozismo político hipster de coques e tatuagens descoladas.

Lamento informar: algo como uma tempestade perfeita fecha o cerco por todos os lados, e a saúde frágil da insignificância urbanóide de militantes imaginários em rede não bastará para sustentar suas crenças no duro teste de realidade que todos teremos de enfrentar bem antes do que estamos preparados ou do que gostaríamos.

Bom fim de semana a todos, vamos brincar de barquinho enquanto ondas ainda não nos arremessem de encontro ao rochedo alegremente desenhado por setores das instituições do Estado de Direito Realmente Existente, esse rochedo tão neutro e unânime papagaiado pela midiocracia que totaliza esse processo 24x7 em tenebroso coro a fazer dos esbirros do "1984" meros aprendizes.


Comentários