irrelevâncias


O que temos?


Com tédio dum lado,
histeria midiotizante de outro,
a TV transmite as rodadas finais 
do novo tipo de Golpe de Estado,
o made in STF:
prende sem provas,
ignora inocência,
prende só com presunções.

Não é por nada não, mas nem tão novo é isso: a Santa Inquisição era um rolo compressor análogo.

Pois bem.

Ante esse cenário, a greve geral do que resta de categorias na área de saúde e educação tem de ser articulada.

E com cuidado para que seu esvaziamento não sirva apenas para legitimar desmanche em curso.

Já pisoteados os jardins.
Já arrombada a porta do vizinho.
Já chutam a nossa porta.
E nada de reação, revolta, nada.
Até quando tal torpor?


***

Engraçado.

Acabo de me dar conta de um outro país da AL cuja elite, por temor do poder popular e lutas sociais com seus inegáveis avanços universalizantes, também deu tiro no pé, caiu de bico e nunca mais se reergueu, golpistas e assassinas ditaduras por lá desde então se alternaram com espasmos de governo civis logo massacrados, um país que também estava "quase lá" quando resolveu virar a casa da mãe Joana, isso tudo há um século: a Argentina, à época conhecida como "a Suíça da AL"!

Bem, talvez a 'ofensa' com ares de praga "vá pra Cuba" devesse ser considerada com mais carinho, sobretudo por quem não tenha nada a perder...

Nas ruas, quando a maioria que se diz de esquerda trata a PEC e tudo o mais com indiferente desdém, diante disso só uma conclusão: a derrota ideológica imposta pelos arautos do inferno neoliberal como arte de governo é tamanha, que há espaço até para posturas e práxis que são sim de direita se autoidentificarem posicionados no espectro político como sendo de esquerda... 

Isso lembra aquela comédia de erros made in USA, a encenada por dois partidos, o dos mesmos de sempre dos tidos como à esquerdae o dos mesmos de sempre dos tidos como mais à direita, ambos encenando uma comédia que defende e impõe as mesmas diretrizes de sempre na relação com o mercado.

Pois é.

Talvez os que digam não haver mais esse negócio de esquerda e direita tenham mesmo razão.

Pelo simples fato de que a distinção só existiria se houvesse esquerda.

Deixou de existir a distinção porque foram derrotadas as forças do campo antagônico antissistêmico socialista, comunista e libertário,

Deixou de existir porque esquerda hoje não passa das dimensões inócuas dos grupelhos, eles mesmo em sua maioria conspurcados por mimimis identitários da dimensão de seus umbigos irrelevantes...

Deixou de existir, mas a turminha feliz alterglobalização dos "vinte centavos, não vai ter Copa, PT é igual ao PSDB" manda beijos e abraços conformistas e resignados e passivos e calados a todos! 

Constrangedor também é o silêncio das panelas selenikes a repousar na geladeira suas últimas rodadas de comida sem trabalho escravo.

Em suma: apertem os cintos o alarme de incêndio não toca, o piloto sumiu e o avião perdeu as asas e está pegando fogo no bagageiro, mas os seriados futebol novela conta pra pagar vão bem obrigado, o chão é lá embaixo mesmo, vamos curtir a queda numa nice, tou indo ali passar um cafezinho, tá servido?


Comentários