estado da questão: há uma guerra, e estamos perdendo

MATAM.
Aí tem gente que "entende gesto do assassino
O Fantástico traz versão do assassino, mas não a das vítimas. 
JUNTE OS PONTOS.
É circular.

Abriram as portas do inferno. 
Sabíamos ser difícil empurrar a Legião de volta para.
Faltava descobrir o que é a Legião. 
Estamos descobrindo.

Nada foi por acaso: 
o plano é destruir o país, 
reduzi-lo à condição 
de entreposto comercial.

Mata-se metade da população a longo prazo 
com as medidas uma a uma aprovadas:
é guerra civil já declarada, 
mas os que morrerão não sabem.

Projeto de destruição sistemático, elaborado, 
legitimado pelo Grande Irmão do Norte, 
que controla e executa à distância, 
via mídia, corações e mentes.

Enquanto todos se matam por aí, vendo jornal
pinga-sangue, novelas, funk, reduzidos
todos a condições tribais, selvagens 
contentes com miçangas, espelhos, celulares.

Entra década e sai década como povo
cuja única história consentida pelos 
que mandam é a da sua destruição e 
a de sua gente reduzida a farrapos.

Enquanto se elege dórias e crivelas, 
viva a democracia
elege-se Lula, Chávez ou Hamas, 
golpes, caos, bombas.

Marines são a empadinha servida a quem resista. 
Lixo cultural norte-americano é a cereja 
do bolo de lama servido a nós, tão hipsters,
com o qual todos nos refastelamos, vintages.

O que fazer? Apostar que pode ser diferente,
e não desistir de dizer "não, tá errado":
enquanto bater o coração, caminhar 
frente adentro em coletivos que lutadores.

Não será sozinha que a andorinha fará verão:
evitar tanto o cinismo da adesão, 
quanto o pessimismo imobilista, 
é muito fácil ficar deprimidinho e não fazer nada.

O pior foi o erro histórico das esquerdas 
em aceitar regras do jogo democrático, 
feitas para tudo manter e nada mudar...
e de que adiantou? 

A ordem neoliberal está cagando para a democracia,
exemplos é o que não falta, são tantos.
Que resta? Estudar, afiar o cérebro, 
é tudo sobre o qual ainda temos como lutar.

No meu caso: o professor na sua labuta diária
tem a impressão de algo na estrutura das coisas 
roubar a capacidade de estudar, pensar, 
lidar com ideias, escrever.

O que é uma contradição: o professor 
tem uma forma de viver que o impede 
de estudar, ler, pensar. Em suma, há uma corda 
em nossos pescoços e ela está apertada.

Enquanto isso, do outro lado, comentários olavetes 
ou pró-bolsonaros e afins nas redes um dia 
aprenderam a andar e derrubaram presidenta Dilma, 
e agora aprenderam a voar e "começaram" a matar.

Tais comentários, reunidos 
na carta do assassino de Campinas, 
permitem uma só conclusão: 
A BESTIALIDADE JÁ VOA por conta própria.

Quando saiam fardados em hordas a chacinarem povo negro 
e pobre, a gente não fez nada. Depois gays. Depois. Depois.
Agora à luz do dia, feminista. Não tarda a vez do esquerdinha
Seguiremos usando sainha e tocando tambor pra lua?

Encerro com duas notícias, uma boa, uma má.
A boa: estamos em meio à guerra contra a barbárie 
misógina, racista, etnocida, irracional, entreguista.
A má: estamos perdendo de lavada.



Comentários