Palmeiras e a fazenda


Análise do Vitão: O Messias Saudações Palestrinas! Em toda religião de forma dogmática todos acreditam que um Messias em determinado momento virá salvar o seu povo. Futebol é religião para a maioria de nós; e a nossa diretoria acreditou piamente que um “Messias” poderia ser a nossa salvação neste momento. Após uma derrota dolorida para o nosso maior rival, em um jogo no qual tivemos uma atuação ridícula, a aposta da diretoria em apressar a estreia do Borja deu resultado. Obviamente estou exagerando na comparação, porém, a tática deu certo e o espírito do time foi renovado. Um resultado ruim diante da Ferroviária com certeza traria problemas para o Eduardo Baptista, porém a estreia do Borja deu um ânimo novo tanto para o time quanto para a torcida. Sem dúvida nenhuma foi a melhor atuação do Palmeiras em 2017, confesso que ao ver a escalação com Zé Roberto jogando em uma posição que nunca atuou no Palmeiras me deixou muito receoso. Não levo em consideração a fragilidade do adversário, analiso a disposição tática do Palmeiras e também a atuação de alguns jogadores individualmente, destaco especialmente: Edu Dracena, Zé Roberto, Tiago Santos, Michel Bastos, Keno, Dudu e o estreante Borja. O gol de Keno marcado antes dos primeiros 15 minutos de jogo ajudou a tranquilizar o time, que jogou solto durante todo o primeiro tempo. Tiago Santos substituiu muito bem ao Felipe Melo, fez bons lançamentos e demonstrou uma qualidade muito boa nos passes. William perdeu duas boas chances de ampliar o placar, aliás, eu não o colocaria como centro avante, acho que ele jogaria muito melhor aberto pela ponta direita. Não o vejo como titular, porém, tenho certeza de que será uma espécie de reserva de luxo, que entrará sempre nas partidas para ajudar o time. O primeiro tempo terminou com domínio total do Palmeiras, não sofremos nenhum ataque sequer e o Prass foi um mero espectador. No segundo tempo o Palmeiras diminuiu o ritmo e viu durante 15 minutos o time de Araraquara fazer uma certa pressão na busca do empate. Após uma boa jogada, o Dudu sofreu pênalti, porém, o árbitro marcou apenas falta fora da área, mas após jogada ensaiada Michel Bastos fez o gol. A torcida começava a se movimentar com a entrada de Borja, muito aguardado e aplaudido por todos ele entrou no Lugar de William. A Ferroviária partiu para o ataque e fez o seu gol após cobrança de pênalti, na primeira oportunidade o Prass pegou, mas o bandeirinha alegou que nosso arqueiro adiantou e mandou voltar a cobrança, na segunda oportunidade tomamos o gol. Antes que o jogo começasse a tomar contornos dramáticos, Borja saiu para o contra-ataque, ganhou a bola no meio, tocou para o Dudu que devolveu a bola para o nosso camisa 12 marcar com extrema categoria e precisão o seu primeiro gol com a camisa “santa” do Palmeiras. Foi uma festa! Torcida e todos os jogadores do time foram abraçar quem sabe o nosso novo “Messias”, convenhamos, por mais cedo que seja dizer isso, o cara realmente parece ser muito bom de bola, arrisco inclusive a dizer que não sentiremos saudades do Gabriel Jesus. Roger Guedes deu números finais ao marcador, após um importante gol de cabeça; gol que levou o atacante às lágrimas. Fim de jogo, excelente partida e muita alegria no Allianz Parque! Clima de paz no ar! Temos um elenco fantástico, o Eduardo Baptista não precisa fazer mágica, apenas tem que fazer o básico, sem inventar! É uma frase clichê nos dias de hoje, mas: o menos é mais! Um grande abraço! [publicado aqui]

COMENTÁRIO:*

Esse é o clima geral: parece que EB se encontrou.

Semana que vem estreamos na Libertadores.

Malgrado a campanha generalizada na mídia.

Que transforma a queda dum clips em vazamento nuclear quando é sobre nosso time que falam.

E vice-versa quando é algum outro.

Que transformam uma escalada do Himalaia em ida ao banheiro quando se trata de uma conquista nossa.

E vice-versa quando se refere aos nossos adversários.

A última fantasia midiotizante é piada pronta sobre o número de gambás em SP ser a somatória das demais três torcidas.

O que só confirma por quão confiáveis devemos tomar as pesquisas do DataFraude.

Boa semana palestrina e que saibamos como superar e destruir a causa do fedor que emana dos esgotos de Brasília e de cada um dos centros de poder desse latifúndio tratado como Casa Grande por 175 famílias que são as detentoras da riqueza e poder nesse não-Estado.



Comentários