refugo da Terra, uni-vos


‘EUA buscam criar na América Latina situação militar igual à do Oriente Médio’ (aqui)

pelo visto, vamos nos restringir a buscar intercâmbios que permitam ao menos escolher aonde ser enterrado?

Caracas, Beijing, Moscou?

Morrer como moscas apassivadas em campos? 

Um encaminhamento, ainda que utópico, a esse fim de linha, seria reunir as diferentes pautas [fundamentalistas várias, de mercado a islâmica, de profanas a religiosas] pelo que há de comum a elas, que é a lógica do extermínio, que a todos nos trata como "matáveis".

Primeiro passo: abandonar letargia de décadas que, sob pretensões anti-historicizantes, resigna-se ao apassivamento esterelizante permeado pela recusa de "significados" às lutas e embates, e defendem táticas que tudo toma como "formas vazias de dispositivos de poder".

E sair do impasse dos derrotados que se cinde entre "governabilidade" da barbárie em sua apologia do mais do mesmo, por um lado, e o cinismo do fazendeiro do ar portador da verdade que pouco se lixa para o que se passa com os "deserdados da terra".

Comentários