Via Institucional, Réquiem para a Porta da Lei desde sempre lacrada


A condenação de Lula me broxou tanto, mas tanto, que sinceramente...

Este é um post cujo título é dedicado aos que acreditam "estarmos em uma disputa".

Quá-quá-quá, um brinde à sua "expertise"!

Continuem aí disputando seus "caminhos por dentro".

Sabe o que é pior?

Ver que toda nossa história, e a dos que nos antecederam, que apostamos, pelo sim pelo não, dos anos 70 aos 2000, nesse caminho, fomos feitos de palhaços.

Bem: não foi por falta de aviso.

Nossos radicais à esquerda sempre denunciaram a nossa ilusão com a democracia burguesa, que, no nosso caso, é esse faz-de-conta na cara dura mesmo.

Tudo somado, tá: quem continuar nesse jogo democrático, assume ser cúmplice.

Só não contem mais comigo.

Há os que chupam os tomates [um axé aos lisboetas!] dos dominadores.

Girando ozóinho em assentimento pela graça alcançada.

E os que viram as costas a esse jogo.

De que lado tu tá?

Daqui da planície, o que vejo?

OTÁRIOS em festa NO DIA SEGUINTE em que os putos perdem seus direitos trabalhistas pós-1888 [P.S.: eu tinha posto 1889, mas minha filha me alertou para o engano, afinal, nem foi a CLT, foi a Lei Áurea que foi pro saco ontem].

Tem mais é que se foder mesmo...

Gerações de sangue, suor e lágrimas cairão mortas à sua direita e à sua esquerda, e que sigam rindo.

Vontade de pular na cama.

E só levantar amanhã cedo.

Depois.

E depois ainda.

É como sempre eu disse após 2006:

A vitória dele ou do PT não é nossa vitória, sua derrota é nossa derrota.

A perseguição a eles com discriminação e parcialidade é não só a derrota do modo petista de ser, é nossa derrota como esquerda também.

O que mais se diga é metafísica de esquerdinhas, universitários ou não.

Como na derrota de Allende, é toda a via institucional de mudanças que, mais uma vez, é reduzida a cinzas.

Antes de tudo: os que acham que se resolve o problema da falta de água da galera que passa a sede simplesmente FECHANDO A TORNEIRA (1) é só uma questão de escala que os separa do Pinochet e (2) cada ação gera uma reação.

E fecharam a torneira do compromisso de classes, pacto interclasses pela governabilidade ou como quer que se nomeie a "via institucional" de mudanças CONSENSUAIS.

Gostemos ou não, se nem essa via é autorizada, não sei mais o que nos é dado querer na política que não seja a violência armada?

E essa, bem, já é a derrota logo de saída, ela implica custos morais e financeiros que nem de longe qualquer um de nós saldamos.

Mas sou um otimista: me somo aos que acreditam que o poço sem fundos tenha lados em que possamos nos apoiar.

Se, tudo isso somado, inexistirem razões o bastante para chamamento à subversão por uma nova des-ordem, então só resta mesmo galera, vamos encher a piscina de nutella e fazer memes engraçados...





Comentários